Programação

Full Stack: O que significa e quanto este desenvolvedor pode ganhar?

O mercado de Tecnologia da Informação tem cada vez mais necessidade de Desenvolvedores Full Stack. Há empresas que não conseguem encontrar profissionais com esse perfil e sobram vagas em Startups que precisam crescer rápido.

Neste artigo, você saberá como surgiu este termo “full stack”, o que faz um desenvolver full stack, como está o mercado e o que você precisa fazer para se tornar um. Além de descobrir quanto um desenvolvedor com este perfil pode ganhar.

Além disso, vou te mostrar como você pode começar hoje mesmo seus estudos sem gastar muito e se tornar um full stack.

Programador concentrado no desenvolvimento de Software e comendo uma pizza

A primeira vez que o termo surgiu foi em 2010, através de artigo escrito pelo Engenheiro do Facebook Carlos Bueno.

A ideia de Carlos era que um programador Full Stack é uma pessoa generalista, ou em suas próprias palavras “Pessoas que desenvolvem habilidades amplas e que tendem a desenvolver um bom modelo mental sobre as diversas camadas de um sistema.”

Ok, mas o que são essas camadas de sistemas?

Como você já deve ter uma noção, todo sistema offline ou online possui diversos componentes que juntos formam a aplicação que é entregue ao usuário.

A divisão mais comum é separar as partes do sistema em Front-End e Back-End.

Back-End:

Essa parte do sistema, como o próprio nome sugere, é responsável por receber todos os dados da interface ( a parte visual ) e processá-los com as devidas validações e manipulações necessárias.

Essa ideia parece ser um pouco abstrata, mas imagine o processo de preenchimento de um formulário.

A tela do formulário é o que chamamos de Front-End (Que vamos falar mais à frente). Quando o usuário preenche este formulário e clica em enviar, o Back-End receberá esses dados e realizará alguns processos internos para encaminhar para onde eles devem ir. Podem ser salvos em um banco de dados, enviados para outro sistema ou mesmo realizar cálculos e devolver o resultado ao usuário.

Aqui é comum utilizar linguagens como Java, PHP, Ruby, C# e Phyton. Além disso, linguagens e ferramentas de comunicação ao banco de dados são utilizadas nessa parte do sistema.

Front-End:

Como já mencionado acima, o Front-End será o responsável por toda a parte visual da aplicação. Ele é constituído de todas as tecnologias necessárias para apresentar as informações ao usuário.

Então, um botão na tela, um formulário, relatório ou qualquer outro componente visual é criado no Front-End.

Ele recebe e envia os dados de acordo com o que foi solicitado pelo usuário.

É a parte onde conseguimos interagir com a aplicação.

Geralmente, as tecnologias utilizadas são HTML, CSS e Javascript ( e seus variados frameworks como Angular e React). Além disso é necessário também entender sobre Design de Interface e Experiência do usuário.

Assim, alinhando com a proposta do Carlos Bueno, podemos definir as camadas do sistema como Back-End e Front-End.

Usuário só enxerga o Front-End

Então o que é Full Stack?

Agora que você sabe o que é Back-End e Front-End a definição de um desenvolvedor Full Stack fica mais fácil.

Um desenvolvedor full stack é aquele tem conhecimento desde o Front-End até o Back-End. Dessa forma, ele é capaz de construir uma aplicação de ponta a ponta, sem a necessidade de outra pessoa de uma área específica.

Ou seja, ele faz o desenvolvimento da aplicação comunicando com o banco de dados, preocupando-se com o visual e até mesmo com as regras de negócio.

É claro quem trabalha como full stack não saberá de todas as tecnologias e linguagens de cada parte do sistema, isso é normal. No entanto, é importante ao menos conhecer o que cada uma delas faz para que, caso algum dia seja necessário, o desenvolvedor saberá como agir.

Lembre-se que é impossível ser expert em todas as áreas. O que é necessário é apenas o conhecimento de cada etapa da aplicação.

 

O que faz um full stack no dia a dia?

Há diversas atividades que um full stack pode realizar em uma empresa. Alguma delas são:

Levantar requisitos de negócio junto ao cliente: O desenvolvedor com este perfil também deve ter a habilidade de conversar com o cliente e identificar os requisitos para construção da aplicação. Assim, ele consegue definir as regras de negócio do sistema com base nesses requisitos.

Muitos desenvolvedores podem se destacar nessa habilidade e alcançar cargos de gerência de projetos e ser responsável por toda a equipe de desenvolvimento.

Não se preocupe se você não é muito sociável e não é bom de conversas, há espaço para todos. O importante é entender como esse processo funciona, para conseguir atender todos os requisitos necessários.

Desenvolvimento dos projetos: É aqui que a maioria dos desenvolvedores full stack se encaixam. É nesse fase do projeto que as habilidades de programação são colocadas em prática.

Você pode fazer parte de uma equipe ou mesmo ser responsável sozinho por determinada atividade que podem estar ligadas ao Back-end e Front-End.

As atividades vão desde a criação de um simples formulário até o desenvolvimento de integrações entre sistemas.

Manutenção de aplicações: Esta é uma atividade importante que pode ser realizada por um full stack. Depois de criado, o sistema vai precisar de manutenções preventivas ou corretivas e então o desenvolvedor será responsável por realizar estes ajustes no código e banco de dados.

Além disso, podem ser identificados pontos de melhoria que serão realizados por este mesmo desenvolvedor.

É muito comum em startups pequenas, o desenvolvedor criar e manter a aplicação. Já em grandes empresas podem haver divisões entre a equipe que cria e a equipe que faz a manutenção.

Performance e segurança: o full stack também pode ser responsável pela performance e segurança do sistema. Assim, ele será responsável por monitorar cargas no servidor, lentidão no acesso, ataques ao sistema e assim por diante.

Novamente, lembro que não é necessário você ser expert em cada uma dessas atividades, mas conhecer o básico de cada uma delas. Você pode ter afinidade com uma atividade e assim se aprofundar nela, mas não pode deixar as outras de lado.

Desenvolvedor Full stack feliz enquanto trabalha no desenvolvimento de software

Qual o perfil profissional que este desenvolvedor deve ter?

Você pode se tornar um desenvolvedor full stack se tiver este perfil:

Ser curioso: Uma pessoa que possui curiosidade terá facilidade para se tornar este tipo de desenvolvedor, porque como o campo de estudo é amplo, a curiosidade fará ele ter interesse em cada área e em cada detalhe necessário par ao desenvolvimento do projeto.

Um full stack não deve ser acomodado e estar disposto a aprender sempre.

Sede de conhecimento: Muito parecido com o anterior, um desenvolvedor com este perfil irá se destacar por saber muito de cada área. (Lembre-se: não tudo).

Comprometimento: Essa é uma característica desejável em qualquer profissional, mais ainda em um desenvolvedor full stack, pois ele poderá ser responsável por toda a aplicação e assim pela entrega do resultado requerido pelo cliente e não apenas “da parte dele”.

Perfil Investigativo: Característica de todo bom programador deve ter. A capacidade de identificar erros de código, performance, segurança e por ai vai.

Aprendizagem Rápida: As vezes um projeto pode requerer uma tecnologia que ele não conhece mas que é de suma importância para a aplicação. Assim, um full stack com a capacidade de aprender rápido pode salvar um projeto colocando em prática o conhecimento adquirido de forma ágil.

Perfil de um full stack é valorizado por muitas empresas

Quanto um Desenvolvedor Full Stack pode ganhar?

Segundo os sites vagas.com.br e glassdorr, um desenvolvedor full stack tem salário médio de R$ 4.500 por mês.

No entanto há empresas que pagam até R$ 14 mil por este profissional, justamente por que há uma escassez de desenvolvedores full stack de qualidade.

A alta nos salários também se justifica pela preferência da empresa em contratar apenas um funcionário que consegue realizar diversas atividades no projeto do que vários funcionários com atividades específicas.

Isso apenas considerando que o desenvolvedor trabalhará como empregado.

Caso ele decida trabalhar por conta própria pegando projetos freelancer ou mesmo criando sua agência, o valores podem ser bem altos.

Projetos simples podem ser encontrados para programadores fazerem por R$ 15mil reais.

Gráfico de salários de um desenvolvedor full stack

Quais as tendências de mercado?

A demanda por desenvolvedores nunca esteve tão alta.

Isto deve-se ao fato das empresas estarem migrando todas as aplicações para o digital.

Além disso, sempre tem alguém que deseja colocar aquele ideia “milionária” em prática, mas não são programadores.

O Desenvolvimento web é uma das áreas mais populares e que vem crescendo rapidamente. Segundo as Estatísticas do Bureau of Labor dos E.U.A. sobre desenvolvedores web, espera-se um crescimento de 13% nos empregos de desenvolvedores web entre 2018 e 2028, enquanto o crescimento normal em outras áreas é de 5%.

Como o full stack irá aprender muitas tecnologias para a web, a demanda por este profissional continuará crescendo.

Numa pesquisa rápida no Linkedin em Setembro de 2020, haviam 966 vagas em todo Brasil para Desenvolvedores full stack, desde startups até empresas consolidadas.

Além desse, no site catho, na mesma data, haviam 471 vagas em todo brasil.

Para você ter uma ideia do que exigem, segue abaixo uma das vagas que oferece um salário de até R$ 7.000:

Vaga de full stack no catho

Para confirmar que desenvolvedores full stack estão realmente em alta, basta você perceber que você está lendo este artigo porque ouviu falar em algum lugar e teve interesse.

Por onde começar a carreira de full stack?

Há muitas maneiras de se tornar um desenvolvedor full stack.

A melhor delas é sendo autodidata e aprender a programar por conta própria, através de livros, cursos e experiências de trabalho.

Há quem diga que você vai precisar de um diploma para isso, mas há controvérsias.

Nem sempre quem tem diploma tem realmente o conhecimento necessário para aquela atividade. É sempre bom avaliar se há a necessidade de formação para o cargo que você deseja.

Muitas empresas estão optando por profissionais que se tornaram desenvolvedores por conta própria. O diploma pode valer, mas não como antes.

O que importa é o conhecimento que você tem sobre o assunto.

Seguindo este raciocínio, você pode começar hoje mesmo sua carreira iniciando seus estudos por livros das principais linguagens utilizadas, cursos online, videos no youtube ou pedir dicas de algum amigo que já é desenvolvedor.

Caso você deseje uma formação, você deve forma primeiro em alguma graduação que envolva sistemas: Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Sistemas para a internet, Sistemas de Informação, Ciencias da Computação, Engenharia da Computação e por ai vai.

Após isso, há instituições que oferecem pós-graduações focados no desenvolvimento full stack.

Principais tecnologias para aprender e se tornar um full stack

Principais tecnologias que um Desenvolvedor Full stack deve saber

Back-end:

  • PHP
  • JAVA
  • PYTHON
  • .NET
  • Node JS
  • Ruby on Rails
  • MySql
  • MondoDB

 

Front-End

  • HTML
  • CSS
  • Javascript
  • Jquery
  • React
  • Angular
  • React native
  • UX

 

Controle de Versão

  • GIT
  • GITHUB
  • Grunt
  • Subversion

 

A lista é bem grande e não termina ai, mas o desenvolvedor pode escolher um linha de programação e se especializar nela, mas conhecer as mais variadas tecnologias disponíveis.

No final deste artigo, você pode conhecer o Pacote Full stack da danki code, que é uma escola de programação que tem o curso mais completo do Brasil com essas e outras tecnologias que formam um desenvolvedor full stack.

Passo a passo para se tornar um desenvolvedor full stack

  1. Tenha uma boa lógica de programação.

  2. Estude uma tecnologia Back-End até se sentir segurança em utilizá-la.

  3. Estude Tecnologias Front-End, como HTM, CSS e Javascript. Tente criar sites bonitos e interativos.

  4. Comece a juntar os conhecimentos da tecnologia Back-End com o que você aprendeu no Front-Ent e aprofunde mais sobre a integração entre elas.

  5. Estude algum Framework Front-End que seja mais fácil pra você. Eu recomendo começar com o React.

  6. Aprenda modelagem de banco de dados e estude a Linguagem SQL.

  7. Crie várias aplicações pequenas com cadastro, edição, exclusão com as tecnologias aprendidas.

  8. Programe cada vez mais para adquirir experiência.

Caso você queira um plano mais aprofundado, vou deixar aqui um “Roadmap” do que um desenvolvedor full stack precisa percorrer.

Está em inglês: Acesse aqui

Qual é a desvantagem de ser um Full Stack?

Como tudo na vida, há desvantagens em ser um Desenvolvedor full stack.

Como o campo de atuação desse tipo de profissional é amplo, é muito comum ele não se especializar em uma área e isso pode afetar o seu aprendizado.

Ele será capaz de construir uma aplicação completa, sem necessidade de mais ninguém, porém ele não terá a capacidade de pegar os detalhes de cada tecnologia.

Não é o objetivo desse profissional, por mais que ele estude. O objetivo é entregar uma aplicação completa e resolver o problema proposto.

Alguns até podem criticar este tipo de profissional por “fazer de tudo”, mas a grande questão é que eles não “fazem de tudo”, apenas “conhecem de tudo”.

Quer se tornar um Desenvolvedor full stack?

Se após ter lido todo este conteúdo você tenha decidido seguir esta carreira, eu quero te convidar a conhecer o Pacote Full Stack da Danki Code.

É um pacote com 2 cursos completos de desenvolvimento Web com mais de 2.000 aulas que possui todas as tecnologias necessárias para você começar na carreira.

E você vai se surpreender com o pequeno investimento necessário para se inscrever comparado à outras escolas de programação.

Como dito mais acima, não é necessário formação acadêmica para você ser um desenvolvedor full stack, o que importa será o conhecimento prático.

Assim, se você quer algo rápido e que já traga resultados para você em pouco tempo, recomendo que comece com este pacote.

Agora é com você

Agora eu quero que você me responda nos comentários abaixo a seguinte pergunta:

Você já trabalha com Tecnologia da Informação ou está avaliando a ideia de mudar de carreira? (Vou te orientar com algumas dicas)

Compartilhe este artigo nos grupos de amigos, faculdade, redes sociais e onde você puder para que o blog possa crescer a assim eu consiga trazer conteúdos exclusivos cada vez mais.

Facebook Comments

Qual a Sua Reação?

Animado
0
Feliz
0
Amei
0
Não tenho Certeza
0
Bobo Alegre
0

Deixe uma Mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.